sábado, 30 de julho de 2011

HOMOFOBIA É ESTUPIDEZ DO HOMEM


(Katy Bailey)




Fazia muito frio e o Mike não conseguia dormir. Agasalhei-me e fui lá levar-lhe algo quente, para minorar a insônia gelada. Por isso, o papo foi breve.

- Queria te dizer uma coisa... – começou o Mike.

Estranhei, porque geralmente sou eu quem o provoca.

- Diga. Mas seja breve, que estou congelando.
- Estou aqui matutando sobre um problema idiota que tenho ouvido: a agressão a homossexuais...
- E o que vocês, macacos, pensam sobre isso?
- Bem, homossexualismo existe entre muitas espécies animais...
- E daí?
- E daí que só entre os homens, ditos “sapiens” (e ele escandiu bem a palavra, para ressaltar a ironia) é que isso é considerado estranho...
- E não é estranho? – provoquei, embora concordasse plenamente com ele.
- Não, não é. Tudo o que acontece entra para o rol das coisas comuns.
- Mesmo o inusitado?
- Sim, mesmo o inusitado. Mas, não mude de assunto. Eu fiquei abestalhado com uns caras aí que agrediram um homem que se abraçava ao próprio filho, pensando que ele era homossexual...
- E cortaram-lhe uma orelha...
- Isso é absolutamente impensável. Uma estupidez sem tamanho. Vocês, homens, estão perdendo a medida das coisas. Está difícil considerar a humanidade como “evoluída”. Os atos bárbaros estão cada vez mais comuns, o que nos remete para a uma situação de normalidade o fato de aceitarem a homofobia, os massacres, os assassínios e todas as demais agressões que vocês cometem uns contra os outros, por motivos cada vez mais estúpidos...
- Olha, Mike, eu até gostaria de aprofundar esse assunto com você, mas o frio...
- Tem razão, está muito frio, tão frio que anda congelando o pensamento do “homo sapiens”. Vamos tentar dormir. Se for possível, diante de tantos atos bárbaros...
- Você está falando de quê?
- Daquele cretino lá da Noruega... Mas deixa pra lá... Boa noite.

Alimentado, Mike foi para seu abrigo tentar dormir. Eu perdi definitivamente o sono, nesta noite fria, muito fria...